• 18/08/2015
  • Kazuo
  • Main Stage

Joe Satriani: “Shockwave Supernova” (2015).

Joe Satriani “Shockwave Supernova” (Sony Music/2015): mestre da guitarra e ícone do rock instrumental, o norte-americano Joe Satriani disponibilizou recentemente “Shockwave Supernova”, seu mais novo álbum de estúdio. O registro sucede “Unstoppable Momentum” de 2013.

Satriani segue prolífico, sendo um grande nome da música instrumental e um dos guitarristas mais bem sucedidos no mainstream rock mundial. Sua obra ainda alia de forma eficaz virtuosismo e musicalidade, expressos em canções assimiláveis a um público de fora dos conservatórios.

O guitarrista passeia com desenvoltura pelo rock, pelo metal virtuoso, pelo fusion, pelo jazz e por vezes até pela world music, quando explora ritmos incomuns. A fase atual de Joe Satriani representa uma retomada enfática de sua carreira-solo, a qual se estende desde o fim dos anos 1980.

Entre 2009 e 2011, Satriani esteve envolvido com o badalado Chickenfoot que lançou dois álbuns. A banda trazia no line up Sammy Hagar (voz, ex-Montrose, Van Halen), Michael Anthony (baixo, ex-Van Halen) e Chad Smith (bateria, Red Hot Chili Peppers), além do próprio Satch na guitarra.

Shockwave Supernova.

O tracklist abre com a faixa-título que recebeu um vídeo de divulgação tão logo o álbum foi lançado, no último mês de julho. Grandes melodias dão a tona em “Shockwave Supernova”, a canção. Um momento mais introspectivo e suave surge na excelente “Lost in a Memory”, um dos destaques deste novo registro. A faixa trás participação especial do multi-instrumentista Mike Keneally, nos teclados e guitarra rítmica.

Segue-se com “Crazy Joey”, dotada de um estilo de composição marcado, “In My Pocket” além da exótica “On Peregrine Wings”, cujo áudio fora previamente divulgado antes do lançamento do registro. “On Peregrine Wings” eclode alicerçada sobre uma levada curiosa de baixo/bateria que remete a rítmos brasileiros. É quase um baião.

Constam ainda a instigante “Cataclysmic” e “San Francisco Blue” onde Satriani explora influencias do blues. Notas ao piano comparecem em meio a “Keep On Movin”, que antecede a intimista “All My Life”, cujo feeling remete a alguma musicalidade latina. O tracklist prossegue com “A Phase I’m Going Through” e “Scarborough Stomp”.

A curta e delicada “Butterfly and Zebra” surge como um breve interlúdio (1 min e 47 segundos), antes da sequência final que abre com a empolgante “If There Is No Heaven”. Caminhando para o fim do álbum ouve-se “Stars Race Across the Sky”, também bastante intimista e o desfecho com “Goodbye Supernova”, adornada por discretos arranjos sinfônicos. O renomado baterista Vinnie Colaiuta está presente em algumas canções do tracklist

A regularidade dos trabalhos solo de Joe Satriani impressiona. É claro que o guitarrista é lembrado por álbuns icônicos da guitarra instrumental como “Surfing With the Alien” (1987), “The Extremist” (1992) e “Joe Satriani” (1995). Entretanto a discografia de Satch é marcada por álbuns que são melhores do que outros, nunca por álbuns ruins.

Cotação: acima da média!

Veja o vídeo de “Shockwave Supernova”:

Comentários