• 05/05/2014
  • Kazuo
  • Main Stage

Dio “Strange Highways” (1993).

Dio “Strange Highways” (Vertigo/1993): em 1993 Ronnie James Dio (1942-2010) estava, com o perdão da expressão, “puto”. Um ano antes, o vocalista havia lançado junto ao Black Sabbath, o álbum “Dehumanizer”, que se por um lado, não é um clássico, por outro teve uma repercussão enorme. O trabalho marcava a volta do vocalista ao Black Sabbath, onde Tony Iommi (guitarra) não tinha apenas Dio junto a si, mas Geezer Butler (baixo) e Vinnie Appice (bateria).

A saída de Dio ocorreu durante a tour de divulgação do álbum, com direito a trocas de ofensas entre o vocalista e Ozzy Osbourne, pela imprensa. O Sabbath aceitou ser opening act de Ozzy, em shows realizados em Costa Mesa (California/EUA), por volta de novembro de 1992. Ozzy divulgava o álbum “No More Tears” (1991) e o título da tour No More Tours fez subentender um indício de aposentadoria. Dio não quis ficar à sombra de Ozzy e saiu do Sabbath, que contou com Rob Halford (na época fora do Judas Priest), nos compromissos de Costa Mesa.

Ronnie James Dio (1942 – 2010). (Foto: divulgação)

Dio já sentia o decorrer dos anos. Sua juventude fora afortunada, sendo que o vocalista participou de álbuns importântes do Rainbow de Ritchie Blackmore (ex-Deep Purple) e do próprio Black Sabbath no começo dos anos 1980. Um ápice comercial também já havia sido atingido, com os três primeiros álbuns de sua carreira-solo, logo após sair do Sabbath por volta de 1982. Pouco antes do retorno ao Sabbath entre 1991 e 1992, Dio andava sendo ridicularizado pela imprensa metal da Inglaterra, a qual criticava as produções de palco grandiosas.

O momento do metal já não era o mesmo e o último álbum solo de Dio, antes do retorno ao Sabbath fora “Lock Up The Wolves” (1990), que trazia o tecladista Jens Johansson (ex-Stratovarius, Yngwie Malmsteen) na formação.

Strange Highways.

Ao reativar a banda Dio, Ronnie tinha novamente consigo o baterista Vinnie Appice. Para o baixo, Jeff Pilson (ex-Dokken) fora trazido e o desconhecido guitarrista mexicano Tracy Grijalva, que assinava como Tracy G completava o line up. “Strange Highways” soava pesado, crú, direto e para aquela época, atual. Tracy G foi muito criticado, principalmente no Brasil, por ter um estilo diferente dos guitarristas com quem Dio trabalhara anteriormente. A exemplo do “Dehumanizer”, “Strange Highways” praticamente não trazia letras fantasiosas, algo comum na obra de Dio e o tom áspero fez com que a imprensa mundial o descrevesse como “Dehumanizer part II”.

A feroz “Jesus, Mary and The Holy Ghost” abria o tracklist de forma frenetica e a canção soava muito bem. Tracy G explorava uma timbragem moderna, próxima ao rock industrial em alguns momentos, mas sem deixar o peso de lado. Num estilo cadênciado tem-se na sequencia “Firehead”. Logo depois, um início climático com a sombria e arrastada faixa-titulo, musicalmente bastante próxima do que Dio fazia no Sabbath. A seção ritmica de Jeff Pilson e Vinnie Appice de sobressai em “Holywood Black”, outra dotada de estilo cadênciado, que persiste em “Evilution”, esta com uma marcante linha de baixo explorada por Jeff Pilson.

Temos ainda a pesada e ótima “Pain”, “One Foot in The Grave”, bons arranjos acústicos na soturna “Give Her The Gun”, que lembra algo da clássica “Hide in The Rainbow”. Segue-se com a intensa “Blood From Stone”, “Here’s To You” e o desfecho com “Bring Down The Rain”. “Strange Highways” fora produzido pelo renomado Mike Fraser, mostrando um Dio contemporâneo aos anos 90 e expressando de forma convincente a sua frustração pelos problemas vividos com o Sabbath. O mundo do metal e do rock já era diferente, com Bruce Dickinson fora do Iron Maiden e Halford fora do Judas Priest. Era a época da explosão grunge, do surgimento das bandas de death metal e da assimilação de pesos pesados como Sepultura, Pantera e Slayer, pelo mainstream.

A última fase da carreira-solo do vocalista também se iniciava ali, sendo que o álbum de 1993 teria como sucessores “Angry Machines” (1997), o clássico tardio “Magica” (2000), “Killing the Dragon” (2002) e “Master of The Moon” (2004). Dio voltaria a trabalhar com Iommi, Butler e Vinnie Appice com o Heaven and Hell, que lançaria “The Devil You Know” em 2009. Dio faleceria vítima de câncer em maio de 2010.

O período de “Strange Highways” voltou a ser rememorado devido ao lançamento do dvd/blue ray de “Live in London Hammersmith Apollo 1993”, que sai agora em maio. O show captado em dezembro de 1993 no Hammersmith Apollo de Londres (Inglaterra), trás a formação da banda Dio de “Strange Highways” em plena tour de divulgação do álbum. “Strange Highways” foi lançado em outubro de 1993 e completou vinte anos de lançamento, ao passado.

No próximo dia 16 de maio completam-se quatro anos da morte de Ronnie James Dio.

Ouça “Jesus, Mary and The Holy Ghost”:

Comentários